ANVISA PASSA A CONTROLAR EXPORTAÇÃO DE CLOROQUINA E HIDROXICLOROQUINA

MEDICAMENTOS EM TESTE PARA TRATAMENTO DO NOVO CORONAVÍRUS, COMO A CLOROQUINA E HIDROXI CLOROQUINA, SÓ PODEM SER EXPORTADOS COM AUTORIZAÇÃO PRÉVIA DA ANVISA, AGÊNCIA NACIONAL DE VIGILÂNCIA SANITÁRIA. A MUDANÇA FOI DIVULGADA EM EDIÇÃO EXTRA DO DIÁRIO OFICIAL DA UNIÃO. A DECISÃO TAMBÉM CONTROLA A VENDA AO EXTERIOR DE MATÉRIA-PRIMA PARA FABRICAÇÃO DESTES MEDICAMENTOS.

ALÉM DA CLOROQUINA, A ANVISA DECIDIU ENDURECER REGRAS SOBRE A EXPORTAÇÃO DE INGREDIENTES E COMPRIMIDOS DE OUTROS MEDICAMENTOS, ENTRE ELES, A AZITROMICINA, TODOS TESTADOS CONTRA A COVID-19.

A INDÚSTRIA FARMACÊUTICA INSTALADA NO BRASIL TEM CERCA DE 8 MILHÕES E 900 MIL COMPRIMIDOS DE MEDICAMENTOS À BASE DE CLOROQUINA E HIDROXI CLOROQUINA.

OS PRODUTOS SÃO APOSTA DO PRESIDENTE JAIR BOLSONARO NO COMBATE AO CORONAVÍRUS, MAS ESTÃO RECOMENDADOS PELO MINISTÉRIO DA SAÚDE SOMENTE PARA PACIENTES INTERNADOS, JÁ QUE FALTAM ESTUDOS CONCLUSIVOS SOBRE SEGURANÇA E EFICÁCIA DA DROGA.