PREÇO DE IMÓVEIS RESIDENCIAIS SOBE ACIMA DA INFLAÇÃO ESPERADA PARA MARÇO

O PREÇO MÉDIO DOS IMÓVEIS RESIDENCIAIS DISPONÍVEIS PARA COMPRA SUBIU 0,18% EM MARÇO EM RELAÇÃO AO MÊS ANTERIOR EM 50 GRANDES CIDADES BRASILEIRAS. O AUMENTO FICOU ACIMA DA INFLAÇÃO OFICIAL ESPERADA PARA MARÇO, DE 0,11% SEGUNDO ESTIMATIVA DO BANCO CENTRAL.

SEGUNDO O ÍNDICE FIPEZAP, A CAPITAL QUE APRESENTOU MAIOR AUMENTO DOS PREÇOS FOI FLORIANÓPOLIS (COM ALTA DE 0,90%), SEGUIDA POR CURITIBA (COM SALTO DE 0,72%) E MANAUS (ALTA DE 0,65%).

POR OUTRO LADO, RECIFE TEVE MAIOR QUEDA, COM RECUO DE 0,55%, SEGUIDA POR FORTALEZA (BAIXA DE 0,33%). OS CÁLCULOS SÃO DA FIPE (FUNDAÇÃO INSTITUTO DE PESQUISAS ECONÔMICAS) E DO PORTAL ZAP.

O PREÇO MÉDIO CALCULADO FOI DE R$ 7 MIL 262 REAIS O METRO QUADRADO. A MAIOR MÉDIA ENTRE AS CAPITAIS É DO RIO DE JANEIRO, COM R$ 9 MIL 297 REAIS O METRO QUADRADO, SEGUIDA POR SÃO PAULO, COM R$ 9 MIL E 59 REAIS O METRO QUADRADO.