Nutricionista fala sobre alimentação após os 40 anos na Nossa Rádio

Ao passar dos anos, nosso corpo queima calorias mais lentamente. Isso se deve à diminuição do metabolismo – processo químico do corpo, que absorve os nutrientes para o bom funcionamento de nosso organismo. E obtemos obtemos esses nutrientes, como vitaminas e proteínas, por meio da alimentação.

Quando passamos dos 40 anos de idade, a tendência é de que o metabolismo caia naturalmente, o que requer cuidados mais especiais com a dieta. Para falar sobre isso, a Nossa Rádio de São Paulo recebeu a visita da nutricionista Priscila Moreira, Instituto Dante Pazzanese e membro do Conselho Regional dos Nutricionistas de São Paulo.

A especialista foi destaque do Programa “Nossa Tarde é Show” no dia 20 de fevereiro. Na ocasião, ela falou sobre nutrição a partir dos 40 anos e respondeu a várias perguntas de ouvintes.

Para uma vida saudável é necessária uma boa educação alimentar, independente da idade. Porém, quanto mais jovem maior será a facilidade de se perder peso, já que o organismo assiila com mais rapidez a mudança. Isso já não acontece a partir da faixa dos 40 anos de idade, período em que o metabolismo começa a ficar mais lento, como fala Priscila.

A gente deveria comer mais nos primeiros anos de vida e comer menos quando envelhecermos. Mas, ocorre o contrário. A comida é um conforto e acalenta. Por isso, temos que ter equilíbrio. O metabolismo muda muito com a idade. Com o passar dos anos, a tendência é produzirmos menos, principalmente as mulheres por conta dos hormônios”, acrescenta.

Para uma boa alimentação, a especialista recomenda uma dieta à base de produtos naturais – frutas, legumes e verduras. Ela ressalta que é muito importante ter uma nutrição equilibrada, rica em proteínas e vitaminas. Entretanto, essa alimentação vai variar de pessoas, conforme seu gasto diário de calorias.

A quantidade de refeições ainda é uma questão bastante discutida. O que é importante é pequenos volumes entre três ou quatro horas. Quando falo ‘capricha’ não é quantidade, mas para fracionar. Recomendo fracionar a alimentação com quatro ou cinco refeições em pequena porções ao dia”, explica.

Tem que pensar o quanto gasto de energia. Se não faço nada em casa à noite, não há necessidade de comer antes de dormir. Mas, quem estuda, trabalha , pega ônibus ou metrô é bom fazer um lanche leve antes de dormir, pode comer um lanche leve antes de dormir”, complementa.

Praticidade x saúde

Para quem tem trabalha e/ou tem muitas atividades e pouco tempo livre durante o dia, a nutricionista recomenda carregar na bolsa ou mochila uma fruta compacta (como maçã e pera), um suco natural e porções de castanha ou amendoim.

Pode levar iogurtes. Não vai estragar até o meio da tarde. Se resolver comer um snack, por exemplo, leia o rótulo e evite consumir açúcar e gordura em excesso”, orienta.

Priscila Moreira declara que a dieta do brasileiro poderia ser a melhor do mundo, devido à grande oferta de alimentos nutritivos no país. Porém, ela salienta que as praticidades disponibilizadas por fast foods, supermercados, entre outros tipos de estabelecimentos acabou mudando o hábito alimentar da população, especialmente em grandes cidades.

No meu tempo, ir a lanchonetes e comer um hambúrguer, por exemplo, era só no fim de semana. Os lanches são pobres e nutrientes. Por isso, precisamos ter cuidados com nossa alimentação. Precisamos de proteínas animal (como carne, laticínios e ovos) e vegetal (grãos, como feijão, ervilha, lentilha, etc.)”, declama.

Apenas 6% da população de São Paulo faz exercícios. A vida é muito corrida e a alimentação precisa ser muito equilibrada e condizente com nosso gasto de energia e nossas atividades”, acentua.

Um dos itens que se tornou popular no país nos últimos anos é o suco detox. A especialista destaca que o produto surgiu como uma solução prática para quem não tem costume de comer frutas, legumes e verduras. No entanto, o consumo do suco detox, por si só, não é recomendável. O ideal é que o produto seja ingerido como um complemento.

Para quem tem uma vida corrida e se limita a um arroz e feijão, por exemplo, pode ser beneficiado pelo suco detox, desde que tome um copo a cada refeição e entedo outro alimento para reforçar”, indica.

Motivação

Tradicionalmente, nos meses que marcam a vidada do ano, muitas pessoas fazem propósitos para ter uma vida mais saudável, incluindo melhorar o hábito alimentar. Priscila Moreira defende que é importante estabelecer metas na hora de ter uma dieta saudável, desde que essas metas sejam possíveis de serem realizadas.

Não dá para dizer ‘vou largar o churrasco, hoje’. Coma menos, uma vez por semana. No caso de frituras, por exemplo, corte aos poucos. Procure adicionar um alimento aos poucos, como umaverdura crua uma vez por semana. Depois aumente para dois dias. Outro exemplo é o feijão, temos uma grande variedade de tipos. A ervilha pode ser consumida de várias formas, como uma sopa, um creme ou inserida numa salada”, exemplifica.

Auxílio profissional

Há muitos casos de pessoas que têm dificuldade de fazer uma reeducação alimentar, que é necessária por questão de saúde, como diabetes e outras doenças que requerem uma dieta cuidadosa.

Para que essa mudança de hábito alimentar ocorra da forma menos traumática possível, Priscila aconselha um acompanhamento especial. “O lado emocional é importante. Há trabalho em conjunto de nutricionistas com outros profissionais com psicólogos para ajudar nesses casos”, afirma.

A especialista reforça que a procura de orientação de nutricionistas ainda é pequena no Brasil por uma questão cultural. O SUS (Sistema Único de Saúde) disponibiliza desses profissionais em sua rede de unidades pelo país afora.

Priscila destaca o trabalho realizado no Instituto Dante Pazzanese, que conta com grupos de nutricionistas que orientam pessoas diariamente.