Muita música e histórias de Adhemar de Campos encantam na Nossa Rádio

Dizer que Adhemar de Barros é a história viva da música evangélica brasileira não é nenhum exagero. Com 45 anos de ministério musical e autor de cerca de 850 músicas, o cantor, compositor e pastor foi a atração da programação da Nossa Rádio de São Paulo no dia 30 de outubro.

Ele visitou o belo estúdio panorâmico da emissora, no Centro da cidade, e elogiou bastante as instalações. Adhemar foi o grande destaque do Programa “Nossa Tarde é Show” e teve um bate-papo muito descontraído com o locutor Eli Santos. O cantor respondeu a perguntas de ouvintes de São Paulo, Roraima e de outras partes do país.

Adhemar encantou também à plateia presente no estúdio pela simpatia, simplicidade e muitas histórias que contou. Ele também emocionou o público cantando grandes sucessos de sua carreira.

Recentemente, o cantor gravou o DVD “Legado 40 Anos”, cantando alguns de seus muitos sucessos ao vivo no Centro paulistano, em frente ao Theatro Municipal.

Atualmente, Adhemar faz parte do musical “Rua Azuza”, que retrata o avivamento pentecostal ocorrido em 1906 em Los Angeles que marcou a igreja evangélica norte-americana e, consequentemente, comunidades cristãs ao redor do mundo. A peça faturou o prêmio Bibi Ferreira, o “Oscar do teatro brasileiro” como melhor novo musical.

Adhemar interpreta o pastor William Seymour, líder da igreja na Rua Azuza e do movimento de avivamento pentecostal. O cantor recebeu o convite do diretor do espetáculo, Caique Oliveira, que destacou que ele era ideal para o papel de Seymour.

No bate-papo, Adhemar falou que sua trajetória começou de forma muito rápida. Ele lembra que começou cantando no coral e, depois, em grupos de louvor da igreja onde congregava. Mais tarde, passou a compor e não parou mais. O cantor recorda que nunca imaginou que seu ministério tomaria as proporções nas últimas quatro décadas. Adhemar comentou que nos anos 1970 as pessoas nem sabiam direito o que era adoração. Segundo ele, estava muito focado nos trabalhos da igreja onde congregava, como cantar em praças.

Um pouco de uma vasta história

Na década de 1970, Adhemar de Campos era um dos únicos produtores de cânticos evangélicos com grande projeção. Suas músicas e versões marcaram a música gospel brasileira. Recentemente, ele foi homenageado pela Câmara Municipal de São Paulo por seu trabalho musical. O músico é idealizador do seminário Reciclando a Visão, fundador da Associação dos Músicos Cristãos do Brasil e autor de diversos livros.

O cantor é um dos mais notórios ministros de louvor e adoração do Brasil, dedicando sua vida ao desenvolvimento de obras que ajudam as pessoas experimentarem a presença de Deus de uma maneira nova e íntima. Em 1985 gravou seu primeiro LP e em 1987, sob um pioneirismo ímpar, realizou a primeira gravação ao vivo de músicas cristãs.

Seu ministério influenciou gerações com composições atemporais e até hoje nos toca compartilhando valores de uma vida cristã verdadeira. Sua discografia reflete o amor com o qual se dedica a composições que levam as pessoas a uma experiência profunda com Deus. 

Ele compôs mais de 100 músicas de origens norte-americanas e línguas hispânicas, cantadas por expoentes da música evangélica como Don Moen, Ron Kenoly, Bob Fits, Paul Wilbur (Estados Unidos), Marcos Witt (México/ Estados Unidos da América) e Jorge Lozano (Argentina). A influência de Adhemar de Campos extrapola o meio evangélico. O Padre Marcelo Rossi chegou a regravar “Nosso General”, em 2002.

Além de pastor e compositor, tem se dedicado ao ensino da Palavra, ministrando em diversas plataformas e para vários públicos. São 30 projetos gravados, incluindo LPs, CDs e Dvds, e o mais recente é o “Legado 40”, no início do ano.

Atua hoje na igreja-sede da Comunidade da Graça em Vila Carrão, bairro da Zona Leste de São Paulo. Adhemar é um dos fundadores e vice-presidente da AMC (Associação de Músicos Cristãos do Brasil).

Adhemar é casado com Aurora Campos, que é pastora auxiliar na Comunidade da Graça e uma das líderes do Ministério de Mulheres Intercessoras ao lado da Pra. Suely Bezerra, fundadora. Ele tem três filhos (Rodrigo, Mari e Ju) e netos.