ENDIVIDAMENTO E INADIMPLÊNCIA AUMENTAM PARA OS QUE GANHAM MENOS DE 10 SALÁRIOS MÍNIMOS

A proporção de lares paulistanos endividados se manteve estável em 55,7% no mês de julho, na comparação com o mês Anterior.

Entretanto, em relação ao mesmo período de 2018, houve alta de 4,5 pontos porcentuais. E no total, 2 milhões e duzentas mil famílias permanecem com algum tipo de dívida, ou seja, 190 mil famílias a mais no período de um ano.

Já a inadimplência chegou a 20,2%, e atualmente, 792 mil e 600 paulistanos estão com contas em atraso. A alta foi maior entre os que ganham menos de dez salários-mínimos: 59,6% de endividamento e 26,3% de inadimplência.

Os dados são da pesquisa de endividamento e inadimplência do consumidor, realizada mensalmente pela fecomércio, a

Federação do comércio de bens, serviços e turismo do estado de são paulo.